Xiaomi revive redes sociais brasileiras e reforça suspeitas de volta ao país

A Xiaomi pode estar planejando voltar ao Brasil. Isso pelo menos é o que indica o Twitter oficial da empresa. A companhia deixou o país em 2016 por conta de dificuldades com o ambiente econômico local, sendo que, desde então a página da empresa na rede social não havia sido atualizada.

No último dia 25 de março, contudo, o perfil oficial da Xiaomi no Brasil voltou à ativa. Tudo começou quando a conta mundial publicou o lançamento do Redmi 7 e um usuário perguntou: “Este aparelho vem para o Brasil?”.

Em seguida, a página mundial colocou a versão brasileira na conversa, com o seguinte recado: “Acorda! Acorda! Os Mi Fans estão esperando!”.

Desde, então, a empresa está mantendo suas redes sociais (Twitter e Facebook) ativas, perguntando aos seguidores o que esperam da companhia para este ano.

O principal indício disso é um novo vídeo publicitário da empresa sobre seus produtos. No post, a companhia pergunta: “Inovação para todos, essa é a nossa missão. Estão prontos para que isso aconteça no Brasil de novo?”

Ao GSMArena, a divisão da América Latina da empresa informou que tem acompanhado um entusiasmo de usuaŕios brasileiros em relação à marca, mas que isso isso não significa que a empresa está oficialmente voltando ao Brasil, sendo que não há anúncios oficiais sobre isso.

O Canaltech entrou em contato com a assessoria de imprensa da Xiaomi, que não confirma a volta da empresa. Por e-mail, ela apenas informou que “por enquanto não temos novidades. Podemos somente afirmar que a DL segue fazendo a distribuição dos dois aparelhos, que já estão disponíveis nas lojas físicas da Ricardo Eletro”.

Em fevereiro deste ano, a Xiaomi fechou uma parceria com o grupo de eletrônicos DL para a venda do Redmi Note 6 Pro e o Pocophone F1, ambos agora com comércio em varejo.

Redmi Note 6 Pro que será vendido aqui no Brasil pela DL (Foto: Divulgação/Xioami)

Um dos principais entraves para a Xiaomi era exatamente o preço de impostos. A empresa nunca efetivamente anunciou sua saída do mercado nacional: em maio de 2016, ela informou que não deixaria totalmente o país, mas que parte do time seria deslocado para a China. Contudo, aos poucos, foi parando de viabilizar seus produtos por aqui, solidificando a ideia de que teria deixado o território nacional.

Fonte: Canaltech

%d blogueiros gostam disto: